The Good & Old Rock'n'roll

The Good & Old Rock'n'roll
Traduções de músicas & textos sobre o rock'n'roll e sua história.

segunda-feira, 13 de abril de 2015

"SINGIN' ALONE": ARNALDO CANTANDO ( E TOCANDO) SOZINHO

Em 1982, era lançado de maneira independente, pelo selo Baratos Afins, o álbum Singin' Alone, documento sonoro definitivo de uma viagem até as últimas consequências, realizada por Arnaldo Baptista.



Dizem os astrofísicos que um "horizonte de eventos" é a última fronteira da realidade, tal qual nossos sentidos a percebem. O álbum Singin' Alone é uma espécie de "horizonte de eventos" para a música de Arnaldo Baptista.

Como o título dá a entender, Arnaldo não somente "canta sozinho" -- com exceção da participação de Suzana Braga, sua companheira na época, nos backing vocals em duas músicas --, como também toca todos os instrumentos e é o arranjador de todo o álbum, que foi produzido por Luiz Calanca e lançado, de maneira independente, em 1982, pelo selo de sua loja, a Baratos Afins.

Enquanto, apesar da ousadia, o trabalho anterior de Arnaldo, seja junto a Os Mutantes ou à Patrulha Do Espaço, bem como em Loki?, seu primeiro solo, se atém à convencionalidade musical, Singin' Alone vai às últimas consequências sendo, desta forma, um álbum mais "difícil" para ouvidos condicionados às convenções musicais.

Algumas das músicas que compõem o álbum, já haviam sido gravadas com a Patrulha Do Espaço no final dos anos 1970, porém com letras, arranjos e instrumentação diferentes, mais puxadas para um certo tipo de Classic ou Hard Rock.

Não somente a audição de Singin' Alone é "difícil" como, também, é difícil definir a música ali ouvida. Muitos críticos arriscam "rock experimental". Porém, a impressão que se tem é a de que Arnaldo não estava realizando experimentos musicais e, sim, tocando na única forma que poderia, a música que o tocava. Assim sendo, Singin" Alone é uma espécie de documento sonoro da genialidade em seus limites.

Como já se insinuava, desde o tempo d'Os Mutantes, as letras de Arnaldo oscilam entre o português e o inglês, mas, de uma maneira tão natural e intensa que os limites linguísticos perdem o sentido, permanecendo, por detrás das palavras, o sentimento como derradeira língua universal.

Desde o rompimento afetivo com Rita Lee e, consequentemente, o rompimento artístico com Os Mutantes, Arnaldo vinha se fechando em seu próprio mundo. No final de 1981, o "acidente" na ala psiquiátrica do Hospital do Servidor, em São Paulo, é a metáfora perfeita para o mergulho definitivo em si mesmo. 

Singin' Alone, no entanto, já havia sido gravado. Arnaldo tinha ido às suas últimas consequências e vislumbrado o seu "horizonte de eventos".

A Astrofísica afirma, também,  que além do "horizonte de eventos" está o "buraco negro", uma singularidade da qual nada escapa.

Arnaldo mergulhou fundo no seu "buraco negro" e, só ele sabe como, escapou.

Portanto, não se assuste se ouvindo ouvindo "Bomba H Sobre São Paulo", "O Sol", "Coming Through The Waves Of Science", "Jesus Come Back To Earth" ou "Train", você se pegar perguntando: Por que será que esta música que parece não dizer coisa com coisa me diz tanto? É assim mesmo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário